Big Data: o que é, conceito, definição e para que serve.

7 minutos para ler

Big Data é um conjunto de informações que abrangem a velocidade na qual elas são criadas, coletadas e a variedade dos pontos de dados coberto. Normalmente vem de várias fontes e pode chegar em diversos formatos.

Você já se perguntou de que forma o Google consegue ter tantas informações dos seus usuários, onde são armazenadas e para que serve? E as empresas, como elas conseguem segmentar uma campanha para determinado público baseado em seus interesses?

Nesse artigo você vai entender o que é Big Data, como ele funciona e quais são as vantagens que ele pode proporcionar para o seu negócio. Esse assunto é do seu interesse? Então continue comigo!

O que é Big Data?

Esse é um termo atual muito usado na área de tecnologia e vem ganhando mais espaço, a medida que entramos na era da informação. Ou seja, o Big Data é um centro de armazenamento de dados, muitos dados!

Mas ela vai além de uma simples forma de armazenar essas informações. De acordo com algumas pesquisas que fizemos, o termo Big Data surgiu em 1997, mas foi Roger Mougalas, quem utilizou oficialmente em um dos seus artigos em 2005.

Embora o termo tenha ganhado popularidade em poucos anos, sabemos que o número de dados vem crescendo dando vida a determinadas perguntas como: de onde surgem tantas informações?

Bom, não seria nenhum exagero afirmar que elas surgem de todos os lugares. Algumas são geradas de maneira automatizada enquanto outras, por nós mesmos. Elas são geradas por câmeras de segurança, redes sociais, marcações em lugares que estivemos, GPS e dados de pesquisas na internet.

Atualmente, falamos sobre exabytes, sendo gerados diariamente. E o IDC (International Data Corporation) já prevê que em 2025 teremos 163 zettabytes. Para ilustrar melhor o que isso representa, confira a imagem abaixo:

Big Data: o que é, conceito, definição e para que serve.

Onde e para que tudo isso é utilizado?

Esses dados, se bem analisados, são transformados em informações que são utilizadas para tomadas de decisões estratégicas em várias empresas. São eles quem alimentam e permitiram a criação da inteligência artificial e são a base do Machine Learning.

Importância do Big Data

O Big Data tem consegue fornecer às empresas informações valiosas sobre seus clientes, que podem ser usadas para refinar campanhas e técnicas de marketing para aumentar as taxas de conversões e engajamento.

Isso é uma forma de sair na frente da concorrência, mais especificamente, sobre aqueles que ignoram os dados, já que eles fazem com que a empresa tome decisões mais rápidas em relação ao comportamento do usuário e dos clientes.

Veja alguns exemplos de Big Data

Os diferentes ramos de informações encontrados no Big Data incluem:

Análise comparativa

Nós estamos cada vez mais conectados uns com os outros através da internet, e isso não está relacionado somente a vínculos pessoais, mas também ao acesso que temos sobre uma variedade de produtos e serviços que antes, era limitado. Esse conhecimento faz com que os consumidores comparem os produtos de uma empresa com o dos concorrentes e tente encontrar ali, valor agregado.

Escuta nas mídias sociais 

São informações sobre o que as pessoas estão dizendo nas mídias sociais sobre uma empresa ou produto/serviço. Essa liberdade de expor as informações faz com que a empresa consiga mais dados do que seria possível com uma enquete. E eles são muito importantes para a empresa, pois direcionam as ações de marketing.

Análise de marketing

A análise de marketing pode ser usada para tornar a promoção de novos produtos, serviços e mais assertiva, de acordo com o que os clientes estão esperando e fortalecendo o propósito da marca. Além do atendimento mais qualificado, estreitando o relacionamento entre a empresa e o consumidor, ação que gera mais credibilidade e vendas!

Os 5 Vs do Big Data

É praticamente impossível explicar o que é Big Data sem mencionar os 5Vs que representam as características que ele deve ter.

volume: é referente a quantidade de dados que foram capturados a partir das redes sociais, dados de pesquisas nos buscadores, transações financeiras, dentre outras. A geração ou captação de dados pode ser feita dentro da empresa, ou fora também.

variedade: faz referência aos diversos formatos em que os dados são gerados, que podem ser estruturados (boletos bancários), ou não estruturados (modelo de contrato).

velocidade: é a rapidez com que os dados são tratados e compartilhados. Apenas de ser mais complexo e variável, é importante que o processamento seja ágil para que as informações sejam utilizadas em tempo real e facilite as tomadas de decisões.

veracidade: com a quantidade de dados que são gerados e coletados todos os dias, é imprescindível garantir a confiabilidade dos mesmos e o Big Data consegue atuar exatamente nesse cenário, filtrando quais são os conteúdos confiáveis e relevantes, e eliminando os demais.

valor: a solução deve ser capaz de agregar valor aos processos e torna-los mais competitivos ao identificar tendências e padrões que gerem possibilidade para o gestor tomar decisões com confiança e direcionar a estratégia para continuar ganhando espaço no mercado.

Como e onde tudo isso fica armazenado

Os bancos de dados que funcionam como um modelo relacional, não são capazes de atender as necessidades de um Big Data. Principalmente por ele ser composto por dados não estruturados, ou seja, os dados são de todos e qualquer formato. Criar um modelo para armazenar tudo isso, é uma ação muito complexa e trabalhosa de se manter. E é aí que entram os bancos de dados NoSQL.

NoSQL é composto por várias ferramentas que, de forma particular e específica, resolvem problemas com tratamento e armazenamentos de grandes volumes de dados, acesso com baixa latência e modelos flexíveis de armazenamento.

As vantagens do Big Data

Criação de valor

Todos os investimentos e processos internos são direcionados para a empresa. No momento em que os indicadores forem implementados, toda a área operacional é beneficiada e a partir disso, consegue ter um rendimento de qualidade. Assim, a empresa conseguirá se diferenciar com mais facilidade de sua concorrência.

Redução de custos

As empresas com processos operacionais complexos, precisam estar atentas à sua gestão orçamentária. Investimentos mal avaliados podem causar um impacto negativo na gestão de recursos. Logo, é fundamental que a empresa consiga identificar o que pode ser otimizado e quais processos devem ser eliminados para dar lugar a uma boa dinâmica, sem gargalos e com mais eficiência.

Mais resultados em Marketing e Vendas

Os dados que são coletados através das redes sociais, pesquisas de mercado, da concorrência e do pós-venda, dentre outros setores e meios, ajudam a equipe de marketing e vendas a identificar quais são as tendências do mercado, e antecipar as necessidades dos consumidores ou melhores caminhos para a expansão comercial.

Otimização dos riscos corporativos

Um dos principais objetivos de uma empresa é avaliar e minimizar continuamente os riscos envolvimentos em seus planejamentos. Com uma cultura baseada em análise de dados facilitada pelo Big Data, os gestores conseguem se antecipar e evitar riscos ou ameaças internas/externas.

Uma boa solução de Big Data precisa ser capaz de analisar um grande fluxo de dados com alto desempenho, baixo custo computacional e alta escalabilidade. A análise de dados deve ser feita de acordo com o perfil do negócio, usando recursos que sejam alinhados com as necessidades da empresa com alta segurança. Assim, o investimento será capaz de gerar um retorno alto.

Agora que você entendeu como funciona o Big Data, leia também o nosso artigo sobre Inteligência artificial e expanda mais ainda seus conhecimentos!

Posts relacionados

Deixe um comentário